São Paulo – Curta a cidade e seus melhores eventos

Quando ir: o clima é sempre ameno em São Paulo e todas as épocas podem ser boas, mas eu aconselho a primavera, quando não faz muito frio nem calor e a cidade fica linda toda florida.

 

Quantos dias ficar: uma semana completa para visitar os principais atrativos turísticos. Mas como em qualquer cidade grande vai ficar faltando muita coisa, em uma vida inteira morando aqui ainda não conheci tudo.

 

Como chegar: de ônibus ou avião, quase todos os destinos tem ligação direta com São Paulo. São várias rodoviárias na cidade, então é importante se atentar em qual delas você vai chegar ou sair. Os aeroportos são dois e ambos têm conexão com o transporte público. Guarulhos fica mais afastado, mas tem estação de trem e ônibus com ligação ao metrô Tatuapé. Congonhas está dentro da cidade, de lá também dá para pegar ônibus para o metrô ou qualquer outro lugar.  

 

O que fazer: São Paulo oferece atrativos para todos os gostos, mas o essencial da cidade é conhecer seu centro antigo, Avenida Paulista e Parque Ibirapuera.

 

Onde ficar: o ideal é se hospedar bem próximo de alguma estação de metrô. As regiões mais indicadas são a da Avenida Paulista, que está sempre movimentada e se conecta com toda a cidade. Ou a Vila Madalena, bairro simpático cheio de restaurantes e bares.

 

Transporte: o metrô não chega a todos os lugares, mas é o meio mais fácil de locomoção. Não atrasa e está sempre limpo. Os ônibus também funcionam, mas são mais imprevisíveis. Evite a hora do rush, entre 7 e 9 horas da manhã muita gente vai em direção ao centro, e das 17 as 19 horas as pessoas estão voltando da região central para suas casas. O bilhete único pode ser comprado e carregado em estações de metrô ou lotéricas e facilita o pagamento de passagens além de dar descontos nas integrações.

 

Eventos: pode ser interessante se programar para vir à cidade e aproveitar alguns de seus principais eventos, como o carnaval, o festival de música Lollapalooza em abril, a virada cultural em maio, as quermesses e festas juninas, a época de floração das cerejeiras no parque do Carmo em agosto, a corrida São silvestre e a virada do ano na Paulista.

 

Cultura: São Paulo recebe muitos shows de artistas internacionais, mas também concentra inúmeros shows nacionais acontecendo sempre. Vale conferir o circuito de shows, peças e exposições do Sesc: https://m.sescsp.org.br . O MIS, Museu da Imagem e do Som e o instituto Tomie Ohtake costumam fazer boas exposições que atraem grandes públicos. E vale pesquisar se o Teatro Oficina está com alguma peça em cartaz, além do incrível teatro de estrutura completamente inusitada, o grupo tem atuação marcante.  

 

                São Paulo é aquela cidade que a gente ama odiar. Todo mundo vive falando mal, mas não trocaria por nenhum outro lugar. É claro que o trânsito e a poluição incomodam, além de tudo estar sempre lotado e cheio de filas, mas muita coisa boa só acontece na maior cidade do Brasil.

                Eu não considero São Paulo uma cidade perigosa e não acho que turistas devem se preocupar, apenas tomar alguns cuidados. Como em qualquer cidade grande, é necessário estar sempre atento aos seus pertences, principalmente em ônibus, metrô e grandes aglomerações. Batedores de carteira existem em todo lugar, mas assaltos violentos são raros, principalmente nas áreas mais turísticas. Só evite andar por lugares muito desertos à noite.

 

 

 

São Paulo dia a dia:

 

Dia 1 (segunda) – 25 de Março e Mercadão

 

                 A rua 25 de Março é famosa por reunir muitas lojas com preços baixos, para chegar lá dessa no metrô São Bento, saída pela Ladeira Porto Geral. Vá andando até o Mercado Municipal para experimentar muitas frutas e famosas comidas típicas.

 

Dia 2 (terça) – Centro Antigo

 

                Um passeio a pé é a melhor maneira de conhecer o centro de São Paulo e sua arquitetura antiga.

                Comece pela estação de metrô São Bento. Conheça o Mosteiro de São Bento e o Viaduto Santa Ifigênia. Volte ao largo, siga a rua Boa Vista e vire à direita na rua João Brícola, onde fica o Farol Santander e você pode observar a vista de São Paulo do alto do prédio (ingresso pago). Volte à rua Boa vista e siga passando pelo Pátio do Colégio e outras construções históricas até a Praça da Sé. Contemple a bela catedral e o marco zero da cidade. Depois siga pela rua Benjamin Constant até a Faculdade de Direito da USP. Cruze a praça Ouvidor Pacheco e Silva, siga pela rua São Bento e vire à esquerda na rua Direita, até a Praça do Patriarca. Atravesse o Viaduto do Chá, passando pela prefeitura de São Paulo e uma bela vista do Vale do Anhangabaú. Chegando ao Teatro Municipal entre para uma das visitas guiadas que acontecem de hora em hora. Siga pela rua Conselheiro Crispiniano até a avenida São João, onde fica a Galeria do Rock e a famosa esquina com a Ipiranga. Vire à esquerda na avenida Ipiranga, passe pela Praça da República e o edifício Copan até a Praça Roosevelt. Siga pela rua da Consolação até a estação de metrô Higienópolis Mackenzie. Aproveite para comer em algum dos inúmeros restaurantes pelo caminho, como a Tradicional Casa do Mate (Av. São João, 544) ou o Toya Vegan (R da Consolação, 331 loja 6).  

Dia 3 (quarta) – Pacaembu e Pompéia

 

                  Para chegar ao Pacaembu, dessa na estação de metrô Higienópolis Mackenzie e vá andando pelo bairro Higienópolis e o Parque Buenos Aires. Conheça o estádio e o Museu do Futebol. Volte ao metrô ou pegue um ônibus em direção à estação Barra Funda. De lá, vá conhecer o bucólico Parque da Água Branca. Siga para o Sesc Pompeia e sua programação cultural e aproveite para almoçar no Lar Vegetariano (rua Clélia, 278). Depois Faça uma visita ou acompanhe um jogo no Allianz Parque, estádio do Palmeiras.

 

 

Dia 4 (quinta) - Luz

 

                Comece o dia com um concerto da OSESP na Sala São Paulo, estação Júlio Prestes do trem. Siga de trem para a estação da Luz, essa área não é tão indicada para andar a pé. Conheça o Museu da Língua Portuguesa e depois atravesse para o Parque da Luz e a Pinacoteca.

 

 

Dia 5 (sexta) – Ibirapuera

 

                Para chegar ao Parque Ibirapuera, a estação de metrô mais próxima é a AACD Servidor. Aproveite para passar um dia inteiro no parque e fazer um picnic. Você pode visitar o auditório, a Oca, o planetário e os museus que ficam lá dentro. Em frente ao parque, na Avenida Pedro Álvares Cabral, está o famoso Monumento às Bandeiras e o obelisco. E no fim do ano há um show de luzes nas fontes do lago à noite.

 

 

Dia 6 (sábado) - Pinheiros e Vila Madalena

 

               Conheça o Parque Villa Lobos, à beira da Marginal Pinheiros, chegando de trem pela estação Villa Lobos Jaguaré. Pegue uma daquelas bicicletas ou patinetes compartilhados para passear pela ciclovia até a Faria Lima. Depois siga em direção ao Beco do Batman e seus grafites e passeie pela Vila Madalena. Curta um delicioso sorvete na Veganeria Stuzzi (Rua Harmonia, 506) antes de seguir para a praça Benedito Calixto e sua feirinha de antiguidades. Depois curta o fim do dia nas agitadas Rua dos Pinheiros ou Oscar Freire.

  

Dia 7 – (domingo) – Avenida Paulista

 

                A Avenida Paulista aberta para pedestres no domingo é uma síntese de São Paulo, reunindo todo tipo de manifestações culturais, artísticas e políticas. Além de músicos, dançarinos e vendedores de artesanato, a avenida também reúne uma série de atrações. O MASP, o Parque Trianon, a Casa das Rosas, o Mirante 9 de Julho, o Sesc Paulista, o Instituto Moreira Sales, a Japan House e o Itaú Cultural. Aproveite para conhecer a Rua Augusta, seus cinemas, lojinhas, restaurantes e casas de festa. Nesse dia também acontece a tradicional feirinha oriental bem na saída do metrô Liberdade.

 

             Alguns destinos mais distantes também merecem ser contemplados se houver tempo. O parque da Cantareira oferece trilhas e mirantes em meio à Mata Atlântica, cada núcleo tem sua entrada e atrativos diferentes. O Pico do Jaraguá pode ser subido de carro ou a pé, pela estrada ou por trilha, e tem uma vista incrível da cidade. O Parque da Independência, que abriga belíssimos jardins inspirados em Versailles, tem sua importância histórica cantada em nosso hino, ali fica o Rio Ipiranga em cujas margens foi proclamada a independência do Brasil.

 

 

Share on Facebook
Please reload