Projeto Lontra – Ecovoluntariado e turismo em Florianópolis

 

          Localizado a beira da lagoa do Peri, em Florianópolis, o Projeto Lontra resgata animais em risco e desenvolve estudos para que eles possam se recuperar e procriar em cativeiro e voltar a natureza.

          Eu passei uma semana por lá pelo programa de ecovoluntariado. Conheci de perto todo o projeto, tive bastante contato com as lontras e também aproveitei para visitar as praias e até fazer rafting.

           Eles aceitam voluntários ao longo do ano todo, basta entrar em contato através do site http://www.projetolontra.org.br/ e organizar sua viagem. O tempo de permanência é livre, quando eu fui tinham 2 franceses que estavam fazendo o voluntariado como parte de sua formação em biologia e passaram meses por lá. É necessário pagar pela hospedagem em um hostel muito agradável dentro do próprio projeto. Cada um é responsável por suas próprias refeições. Eles oferecem todo o transporte dos voluntários, incluindo ida e volta do aeroporto de Florianópolis.

          O espaço do Projeto Lontra é bem grande e cercado pela natureza. Algumas vezes aparecem cobras e macacos por lá. As lontras ficam em viveiros, separadas por casais. Uma das nossas tarefas era alimenta-las, basicamente de peixes e frutas. Para talvez um dia poderem voltar à natureza, os animais não podem associar o ser humano a alimento, por isso a comida era jogada através de um tubo. Outra atividade dos voluntários era observa-las e anotar seu comportamento.

 

 

 

          O projeto Lontra recebe a visita de famílias e escolas, que aprendem sobre os animais e se conscientizam sobre a preservação da espécie. Trabalhamos no aprimoramento e manutenção da estrutura do lugar para manter os visitantes distantes dos animais. Além das lontras há viveiros com outros animais da mesa família, como ariranhas.

 

 

          Ao longo da lagoa do Peri estavam instalados sensores de calor e movimento para monitorar as atividades das lontras que vivem por lá. Um dia fomos de caiaque até uma pequena gruta onde estava um desses sensores para recolher as informações. Também observamos vestígios de que algumas lontras haviam passado por ali.
          Durante o voluntariado, fizemos uma viagem a um terreno onde eles planejam construir uma nova sede. O projeto é fazer viveiros em que as lontras se sintam como na natureza, sem nenhuma interação com o ser humano, para facilitar o processo de volta ao seu habitat natural. Por enquanto lá só tem uma casa, onde nós dormimos. Fica no meio da mata, e de noite apareceram tantos vagalumes como eu nunca tinha visto antes.
Aproveitamos o caminho e passamos em um lugar para fazer rafting. Foi a minha primeira vez e eu achei muito divertido. O nosso guia passava as instruções do que tínhamos que fazer e eu traduzia em inglês para os franceses, o que resultava em uma confusão que fazia as velozes corredeiras parecerem muito mais perigosas e ameaçadoras do que de fato eram.  

 

 

 

          Durante o final de semana o Projeto Lontra fica fechado, apenas com os voluntários. Nesses dias, a única tarefa é alimentar os animais. Dá para aproveitar para conhecer a ilha. Ali próximo ficam as praias armação e matadeiro.

 

          Para quem como eu é apaixonado por animais, ser voluntário no Projeto lontra é uma ótima maneira de ficar em contato com as lontras, além de fazer parte de um projeto sério e importante e aproveitar para conhecer Florianópolis. 

 

 

 

 

 

 

Share on Facebook
Please reload