Cusco – natureza exuberante e importância histórica

 

Quando ir: como praticamente todo mundo que vai a Cusco quer ir a Machu Picchu, o ideal é viajar na seca, de abril a outubro, melhor época para visitar o sítio histórico. Evite julho e agosto, os meses mais lotados de turistas.

 

Quantos dias ficar: pelo menos 4 ou 5 dias em Cusco, além de mais 2 para Machu Picchu.

 

Como chegar: Cusco tem um pequeno aeroporto que recebe poucos voos internacionais e muitos voos de Lima. Entre Lima e Cusco, vale a pena comprar a passagem de avião, que as vezes sai até mais barato que a viagem de ônibus, que dura mais de 20 horas (procure nas low costs Viva Air e Sky e se atente para os preços das bagagens).

 

O que fazer: reserve um dia para passear pela cidade e os outros para os tours, os principais vão ao Valle Sagrado, à Montanha Colorida e à Laguna Humantay.

 

Onde ficar: ao redor da Plaza de Armas até a Plaza San Blas é uma área ótima e bem turística, cheia de hospedagens, restaurantes e lojinhas. Há muitas opções de hostels baratos.

 

Transporte: para os principais passeios, o ideal é ir em tours, que são baratos e incluem guia. Já para outros deslocamentos, os táxis são bem baratos, mas como não têm taxímetro, o preço deve ser negociado antes. Se chegar em Cusco de avião saia do aeroporto e peça taxi direto na rua, por um valor bem menor (cerca de 10 soles).

 

Comida: a maioria dos restaurantes serve um menu do dia, que é econômico e bem completo, geralmente com sopa, prato principal, sobremesa e bebida. Na parte turística as opções vegetarianas e veganas são inúmeras. Aproveite para provar a chicha morada, bebida típica feita de milho roxo e coma um delicioso milho cozido de grãos gigantes pela rua. A água que sai das torneiras não é potável e nem sempre os alimentos são bem lavados, então cuidado com comidas cruas em lugares que não sejam confiáveis. Me aconselharam não comer salada, mas como sou vegana acabei comendo bastante e não passei mal.

 

Dinheiro: a moeda usada no Peru é o Nuevo Sol. Dá para levar dólares ou reais, entretanto eu não encontrei tanta aceitação para pagar direto com dólares. Ao redor da Plaza de Armas tem uma infinidade de casas de câmbio, todas trocam reais e a cotação vária um pouco entre elas. Os cartões de crédito internacionais são bem aceitos, mas geralmente se cobra uma taxa extra.

 

Clima: no inverno, época ideal para conhecer a região, chove pouco e faz lindos dias de sol. À noite o frio é intenso e de manhã cedo, na saída para os passeios, também. Procure se vestir em camadas, com cachecol, gorro e luvas, para ficar bem quentinho e ir tirando as peças conforme esquenta o dia.

Altitude: Cusco fica a 3399m de altitude, é uma altura bem considerável e pode trazer efeitos para quem não está acostumado. É comum sentir um pouco de falta de ar, cansaço, dor de cabeça e tontura. Para evitar os sintomas do mal de altitude chegue com calma, deixe o primeiro dia mais livre, evite esforços e beba chá de coca. O ideal é fazer a aclimatação aos poucos e deixar os passeios mais altos, como a Montanha Colorida, para o final. E se sentir os sintomas agravarem, muito mal-estar, enjoo e vômitos, procure um médico.

 

Agências: deixe para reservar todos os tours lá. Há muitas opções de agências, que saem para todos os passeios todos os dias. Eu pedi indicação nas informações turísticas e me deram uma lista com todas as agências confiáveis. Os preços podem variar bastante, então pesquise bem. A verdade é que os tours são todos iguais e no final, todas as agências se juntam e mandam seus passageiros para fazer os passeios com outras empresas, então não faz muita diferença com qual você contratou.

 

Boleto turístico: para entrar em alguns sítios históricos é necessário comprar o boleto turístico e tem algumas opções. O completo custa 130 soles e te dá o direito a entrar uma vez em cada sítio por um prazo de 15 dias. Já os parciais custam 70 soles, duram apenas dois dias, e incluem só alguns lugares. O que a maioria das pessoas compra é o parcial que inclui os sítios do Valle Sagrado, Pisaq, Ollantaytambo, Moray e Chinchero. O boleto é vendido na entrada das atrações e é necessário se organizar para visita-las em dois dias seguidos.

 

Banheiros: praticamente todos os banheiros são pagos, então ande sempre com algumas moedinhas reservadas para isso. E leve papel higiênico.

 

 

         Eu amei Cusco. A cidade é uma graça, muito cheia de vida, simpática e acolhedora. E ao seu redor estão ruínas cheias de história e as mais lindas paisagens. Não à toa o Peru se tornou meu país preferido.

 

- Passeio pela cidade

 

É muito fácil andar pela parte turística de Cusco. Ao redor da Plaza de Armas se concentram muitos museus, templos e igrejas. Passeie também até a Plazoleta San Blas, pela Avenida el Sol e até o Mercado de San Pedro, onde se vendem muitos artesanatos e comidas típicas.

 

 

- Valle Sagrado

 

O Vale Sagrado dos Incas era uma das regiões mais importantes para eles. Ali se concentram muitos sítios históricos que preservam um pouco do que foi essa grande civilização. Os pontos principais que as pessoas costumam visitar são:

 

Moray, local de antiga experimentação de plantação em círculos concêntricos com profundidades distintas

 

Salineras Maras, onde se produz diversos tipos de sal com propriedades para a saúde

 

Pisaq, ruínas da antiga capital da região e a nova cidade com seus mercados de artesanato

 

 

Ollantaytambo, cidade que une o vale e a selva, último vestígio dos Incas encontrado pelos espanhóis antes de Machu Picchu, onde se construiria um templo ao sol

 

Esses locais podem ser conhecidos em 1 ou 2 dias de tour. O ideal é dividir Maras e Moray em um dia e Pisaq e Olantaytambo no outro. Quem vai para Machu Picchu no dia seguinte já pode dormir em Ollantaytambo, assim se economizam duas horas de viagem. Eu não considero essencial visitar Maras e Moray, se estiver com pouco tempo esse é um tour que pode ser deixado de fora.

 

- Montanha colorida

 

A Montanã de las 7 Colores é um lugar que foi descoberto pelos turistas há pouco tempo e agora fica lotado. A montanha colorida pelos seus minerais é realmente impressionante e a paisagem cênica do lugar todo é realmente encantadora. As agências oferecem um tour saindo de Cusco às 4h30 da manhã. Depois de 1h30 de viagem param para o café da manhã e seguem por mais uma hora até onde a trilha se inicia. O caminho é pelo meio de um vale tão lindo que mesmo que você não chegue até a montanha o passeio vale a pena. O começo é plano e tranquilo, mas a grande altitude faz com que tudo fique mais difícil. Os 4km de trilha são percorridos em mais ou menos uma hora e a parte mais desafiadora é o final, que tem bastante subida. Lá em cima, a 5000m de altitude, é muito frio. A volta é bem mais fácil e os tours costumam fazer uma parada para o almoço antes de voltar para Cusco.

 

 

 

 

- Laguna Humantay

 

A Laguna Humantay é lindíssima e para chegar lá também é necessário fazer uma caminhada dificultada pela altitude. Como eu ia também a Huaraz, para ver lagoas azuis maravilhosas, optei por não fazer esse passeio, mas quem vai não se arrepende, a não ser que o dia esteja feio, o que pode diminuir bastante a beleza da paisagem.

 

- Machu Picchu

 

Compre seu ingresso pela internet antes: https://www.machupicchu.gob.pe/inicio. Eu aconselho o primeiro horário, das 6h, quando ainda está mais vazio. Há duas opções para chegar a Águas Calientes (Machu Picchu Pueblo), cidadezinha base para se visitar Machu Picchu. Se for de trem também é bom comprar as passagens antes, ou vai ficar ainda mais caro. Se optar por uma maneira mais econômica, contrate uma van em Cusco para ir até a hidrelétrica e de lá você terá que caminhar por 2 horas até a cidade. O ideal é dormir uma noite em Águas Calientes (Machu Picchu Pueblo) e ir a Machu Picchu no dia seguinte, de ônibus que saem durante todo o dia e são bem caros, ou a pé, subindo uma hora de degraus de pedra pela mata. A altitude lá é bem menor do que em Cusco e o clima mais úmido e quente. Dá para visitar a cidade histórica pela manhã e ir embora no mesmo dia. Você pode combinar com a sua hospedagem em Cusco de deixar algumas bagagens lá, para não ter que levar tudo a Machu Picchu.

 

Confira todas as dicas de Machu Picchu aqui: https://www.aventureira.com.br/single-post/Machu-Picchu

Share on Facebook
Please reload