Tudo sobre carona

 

                Pegar caronas é um ótimo jeito para viajar, mas eu confesso que não é o meu preferido. Apesar de muitas vezes ser bem legal, em algumas situações é complicado e até bem perigoso. Eu normalmente escolho pedir carona quando não tenho nenhuma outra forma de transporte barato disponível. O legal da carona é que é uma troca de confiança mútua entre estranhos. Ao mesmo tempo que você se entrega um pouco às mãos do outro, a pessoa que dá a carona também tem que ter coragem de se abrir para um desconhecido.

                A primeira coisa que eu levo em conta é o lugar em que estou. Eu não me arriscaria a pedir carona para um desconhecido em uma cidade como São Paulo, por exemplo. Apesar de acreditar nas boas intenções das pessoas, sei que estaria muito sujeita a ser roubada, sequestrada ou coisas piores. Já quando estou em uma pequena cidade do interior ou dentro de um parque nacional, me sinto mais à vontade para abordar estranhos. Talvez o risco seja o mesmo, mas eu tenho a impressão de que nesses lugares as pessoas estão mais disponíveis para ajudar os outros, talvez não tão contaminadas pela impessoalidade das relações na cidade.

                Quando o lugar é longe demais para ir a pé, não tem transporte público e um táxi sairia uma fortuna, decido pedir carona. Então saio andando e tento ir até um ponto onde o caminho leve principalmente ao meu destino, assim não tenho que ficar parando gente que vai para outros lugares. Paro na beira da estrada, em um lugar visível, e estico o braço com o dedo polegar apontado para onde quero ir. Observo os carros que vão passando e o meu critério principal é ver se tem uma mulher no carro, se tiver eu peço carona, se forem só homens eu deixo passar. Não quer dizer que pegar carona com mulheres seja necessariamente mais seguro, mas eu me sinto bem mais tranquila.

                É preciso ter muita paciência. Às vezes demora para passar um carro, e mais ainda para alguém parar. Não adianta ter pressa. Quando uma pessoa decide te dar carona, é importante conferir se ela tem o mesmo destino que você. De repente ela vai para outro lugar, mas pode te levar mais para frente no caminho, o que pode ser um adianto. Mas pense se vale a pena, nem sempre o meio do caminho é um lugar bom onde esperar.

                Saber desistir da carona é crucial, pode ser o que vai te salvar de uma roubada. Se você observar qualquer indício de que aquela carona pode ser perigosa, não hesite em recusar. Pode ser a falta do sinto de segurança, um motorista aparentando estar bêbado ou falando coisas estranhas, uma oferta boa demais para ser verdade, qualquer coisa que te faça desconfiar. É claro que quanto mais exigente você for, mais difícil vai ser arrumar uma carona, mas é sempre bom seguir nosso 6º sentido para evitar furadas.

                Existem maneiras de deixar as caronas mais seguras, por exemplo arrumar companhias. Pedir carona junto com alguém que vai para o mesmo lugar que você é ótimo, mas nem todo mundo aceita levar mais de um. Outra alternativa é tentar conhecer as pessoas antes, por exemplo em um hostel, conversar com os outros hóspedes para ver se alguém está de carro e tem um destino parecido com o seu. Uma técnica que eu também costumo usar é pedir carona para motorista de ônibus de viagem ou excursão, às vezes eles aceitam te levar em um pequeno trecho.

                Depois de arrumar a carona é só aproveitar. Essa é uma oportunidade ótima para conhecer outros viajantes e os moradores locais.

Share on Facebook
Please reload