Nascer do sol nas Torres e outras trilhas curtas em Torres del Paine

 

               

                O Parque Nacional Torres del Paine, na Patagônia chilena, é famoso pelos seus circuitos W e O, que passam pelos principais mirantes e duram entre 3 e 5 dias. Mas também é possível apreciar belas vistas com trilhas mais curtas e que não precisam de pernoite. Só transitar pelas estradas já é um passeio maravilhoso, dá para pegar caronas com os carros de turistas ou ônibus de viagem, e também existem micro-ônibus que ligam alguns hotéis, restaurantes e entradas.

 

                O nascer do sol nas torres que dão o nome ao parque é um dos eventos mais famosos e buscados por quem visita a região. A trilha não é fácil, mas pode ser feita em um dia. Saindo do Hotel Las Torres ou do refúgio e áreas de acampamento ao seu redor, é necessário acordar as 3h30 da manhã e fazer a trilha toda durante a noite. O caminho dura cerca de 3h e é bem cansativo, inteiro de subida e cheio de pedras. A caminhada no escuro exige o uso de lanternas e muito cuidado e atenção. O trecho final é bem íngreme e nessa parte se juntam também as pessoas que pernoitaram no Campamento Torres. Na chegada ao mirante já está claro e venta muito. Não dá para ver o sol nascendo de lá, mas após um tempo as Torres se iluminam e ocorre o fenômeno que as deixa vermelhas. A volta no claro é bem mais rápida e cheia de surpresas, pois as paisagens que não puderam ser vistas durante a noite vão se revelando.

 

               A paisagem símbolo do parque, com toda a sua cadeia de montanhas que aparece nos cartões postais, pode ser vista de um mirante ao qual se chega com uma das trilhas mais fáceis. Próximo ao Hotel Explora está a entrada para o Mirador Condor, um caminho curto de subida. Esse mirante proporciona uma vista panorâmica maravilhosa.

 

              Ao lado do Hotel Explora também está o Salto Chico, uma pequena cachoeira com as montanhas ao fundo. Ali perto, próximo à Cafeteria Pudeto, fica o Salto Grande, uma cachoeira maior, e a trilha para o Mirador Cuernos, de onde se tem uma vista mais próxima das montanhas.

 

 

              Além dos mirantes, por todo o parque se encontram lindas lagoas, floresta nativa e os animais da região, o condor, pássaro símbolo da Patagônia, flamingos, guanacos, raposas, e, com muita sorte, pumas.

 

 

 

         

 


 

Share on Facebook
Please reload