Buenos Aires do tradicional ao moderno – história, cultura e agito

 

Quando ir: o ano todo, o inverno e o verão não são muito rigorosos.

 

Quantos dias ficar: uma semana é suficiente para aproveitar bem a cidade. No mínimo 4 dias inteiros.

 

Como chegar: Buenos Aires tem dois aeroportos com voos internacionais, o Aeroparque é o mais indicado por ficar dentro da cidade. De qualquer lugar da Argentina sai ônibus para Buenos Aires. Desde o Uruguai, dá para ir de barco, saindo de Punta del Leste, Montevideu ou Colônia del Sacramento.

 

O que fazer: os atrativos básicos são Caminito, Casa Rosada, calle Florida, Teatro Colón, café Tortoni, Puerto Madero e Malba (Museo de Arte Latinoamericano de Buenos Aires).

 

Onde ficar: de preferência próximo de alguma estação de metrô. No bairro Palermo que é bem bonito e agradável ou no centro, que é mais perto de tudo.

 

Transporte: para usar o transporte público de Buenos Aires é necessário comprar um cartão e carregar com o valor das passagens em qualquer loja de conveniência. Quando você entra no ônibus o motorista pergunta seu destino e cobra a passagem de acordo com a distância. Também existem estações de metrô próximas à maioria dos destinos turísticos.

  

          

          Buenos Aires é uma cidade grande, que guarda marcas de sua história em meio à agitação do presente. Andar pela cidade é bem agradável, tanto nas lotadas ruas estreitas do centro quanto nos bairros mais chiques e arborizados. Dá para ir a todos os lugares usando o metrô e caminhando, os táxis também não são caros, e nos ônibus você paga um valor proporcional a quanto vai andar. Para quem tem pouco tempo na cidade, o Ônibus Amarelo irá te levar aos principais pontos turísticos rapidamente. As famosas atrações estão divididas pelo centro e os bairros Recoleta, La Boca, San Telmo, Palermo e Belgrano.

          Quando eu fui para Buenos Aires sozinha, ouvi de inúmeras pessoas para tomar cuidado, pois a cidade estava muito violenta. Fiquei quase paranoica, desconfiando de todos que passassem por mim, achando que a qualquer hora seria assaltada. Nada aconteceu, também não vi motivos para me preocupar. Como na maioria dos centros urbanos, é preciso andar atento, mas não com medo. O mais comum são furtos que a pessoa nem percebe, e sempre tem aqueles golpes típicos para enganar turistas, nada que não possa ser evitado com um pouco de discrição e cuidado.

           Visitar Buenos Aires é uma oportunidade de conhecer um pouco da história e cultura da Argentina. A herança da colonização espanhola contrasta com o nacionalismo do tango e do futebol. As marcas da ditadura e a resistência do povo persistem, manifestas em arte, música, cores e pichações.

           Para quem vai a Buenos Aires com crianças, um passeio imperdível é o Museo de los Niños, no Abasto Shopping. A clássica sorveteria Freddo continua sendo uma boa pedida, mesmo já tendo filiais no Brasil. E não deixe de tomar um submarino, bebida típica na Argentina.

 

 

Buenos Aires dia a dia:

 

Dia 1 (sexta) – Plaza de Mayo e Puerto Madero

 

                Aproveite o primeiro dia para uma imersão na história de Buenos Aires. Na Plaza de Mayo, conhecida por reunir as avós em busca de seus netos perdidos na ditadura, prédios antigos como a Casa Rosada, de onde Evita Perón fez seu famoso discurso, se misturam com cartazes e manifestações políticas atuais. Depois, em Puerto Madero, conheça a história atual de Buenos Aires e seu desenvolvimento.

 

- Catedral Metropolitana (Av. Rivadavia e San Martín). Segunda a sexta das 9h às 21h, sábado e domingo das 12h às 19h.

-Cabildo (Hipólito Yrigoyen e Av. de Mayo). Visitas quarta a sexta às 15h30, sábado e domingo às 12h30 e 15h30. AR$ 6.

- Manzana de las Luces (Bolívar, A. Alsina, Peru, 272 e Moreno). Visitas segunda a sexta às 15h, sábado e domingo às 15h, 16h30 e 18h. AR$ 7.

- Casa Rosada - Balcarce, 50. 4344-3802. De segunda à sexta, das 10h às 18h. Domingo, das 14h às 18h.

- Puerto Madero e Puente de la Mujer

 

 

Dia 2 (sábado) - Recoleta

 

                A feirinha da Recoleta reúne artesanato, comida, música, artistas de rua e um público jovem meio hippie. No cemitério podem ser encontrados alguns túmulos de famosos. E a Basílica Nuestra Señora del Pilar fica linda iluminada ao anoitecer. Ali perto pode ser vista aquela flor prateada gigante que aparece em cartões postais da Argentina.

 

- Feira de Recoleta – Plaza Intendente Alvear, finais de semana.

- Centro Cultural Recoleta - Junín, 1930. 4803-1040. De segunda à sexta, das 14h às 21h. Sábado, domingo e feriados, das 10h às 21h. Museu Participativo de Ciências, entrada: 20 pesos. Segunda a sexta das 12h30 às 19h30, sábado e domingo das 15h30 às 19h30. AR$ 16.

- Cemitério Recoleta - Junín, 1760. 5614-8869. Todos os dias, das 8h às 18h. Visita sexta às 11h.

- Basílica Nuestra Señora del Pilar - Junín, 1904. 4806-2209.

- Museo Nacional de Bellas Artes - Av. Del Libertador 1473, 5288-9900. De terça à sexta, das 12h30 às 20h30. Sábado, domingo e feriado, das 9h30 às 20h30. Grátis.

- Floralis Genérica – Plaza Naciones Unidas. Abre às 8h e fecha no crepúsculo.

 

 

Dia 3 (domingo) – La Boca e San Telmo

 

                Domingo é o dia da enorme feira de San Telmo, onde com sorte podem ser vistas algumas apresentações de tango. A famosa La Bombonera, estádio do Boca Juniors, abriga um museu do time. O Caminito é um dos pontos turísticos mais famosos de Buenos Aires, além das paredes coloridas, abriga sósias de Maradona e dançarinos de tango que cobram para tirar fotos com os visitantes.

 

- El Caminito – Del Valle Iberlucea, 1300

- Estádio Boca Juniors – calle brandsen, 805.

- Feira de San Telmo - Defensa, da Plaza Dorrego à Plaza de Mayo. Domingo, das 11h às 19h.

- Mercado de San Telmo - Defensa, 1179 / Estados Unidos, 460. De terça à sexta, das 10h30 às 19h30, sábado e domingo, das 9h às 20h.

  

 

 

 

 

 

Dia 4 (segunda) – Plaza del Congreso

 

                Visite a Plaza del Congreso. Depois vá ao famoso Café Tortoni e assista uma apresentação de tango.

 

- Café Tortoni - Av. de Mayo 825, Centro. 4342-4328.

- Congreso Nacional de la Nación - Hipólito Yrigoyen, 1835. 4010-3000. Visitas segunda, terça e sexta às 11h e 17h.

- Palácio Barolo – Avenida de Mayo, 1370. Visitas segunda e quinta às 16h, 17h, 18h e 19h. AR$30.

 

 

 

Dia 5 (terça) – Centro

               

               O enorme e belo prédio da livraria El Ateneo era um antigo teatro. O atual Teatro Colón merece uma visita guiada, se conseguir também assista alguma apresentação lá. Conheça as famosas avenidas do centro e o obelisco, depois caminhe pela calle Florida, aberta só para pedestres, e entre nas Galerias Pacífico para observar sua arquitetura e pinturas no teto.

 

- Livraria El Ateneo – Av Santa Fé, 1860.

- Palácio San Martin - Plaza San Martín. Visitas segunda e quarta às 14h30.

- Galerías Pacífico (Florida e Av. Córdoba)

- Calle Florida

- Avenida 9 de Julio, Avenida Corrientes e Obelisco

- Teatro Colón - Cerrito, 618 e Tucumán. 4378-3744.

 

 

  

Dia 6 (quarta) – Palermo e Belgrano

 

                O museu Malba abriga simplesmente uma das pinturas brasileiras mais famosas, o Abaporu de Tarsila do Amaral. A região é super arborizada e cheia de parques, os jardins botânico e japonês são lindos. O bairro Palermo é bonito e agitado, reúne várias lojas da moda, bares e restaurantes ao redor da Plaza Julio Cortazar.

 

- Malba, Museo Latinoamericano de Buenos Aires - Av. Figueroa Alcorta, 3415. 4808-6500. De quinta a segunda e feriados, das 12h às 20h (entrada 20 pesos). Quarta, das 12h às 21h (grátis ou 10 pesos).

- Parque 3 de Febrero – Av. Adolfo Berro – Rosedal. Terça a domindo das 8h às 20h.

- Jardín Japonés – Av. Casares e Av. Berro. Todos os dias de 10h às 18h. AR$ 8.

- Jardin Botânico – Av. Santa Fé e Av. Las Heras

- Plaza Julio Cortazar, Serrano e Honduras

 

 

 

Dia 7 (quinta) – Tigre

 

                A região do delta do Rio Tigre fica próxima de Buenos Aires e é fácil ir até lá de trem. É um passeio de dia inteiro para fugir um pouco da cidade grande. No terminal de Retiro você pega um trem que funciona como o metrô, mas é bem mais chique e bonito. O passeio é longo, mas as vistas são lindas. Chegando na estação de Tigre, logo em frente você vai começar a ver um monte de guichês vendendo passagens de barco. Escolha o passeio que mais te interessar e conheça a região. 

 

- Estação Retiro - Avenida Ramos Mejía 1358

                

  

           Se sobrar um dia ou uma tarde em Buenos Aires, um lugar que não está nos roteiros turísticos mas é bem interessante de conhecer é o Parque de la Memoria, que reúne instalações artísticas em homenagem à resistência à ditadura argentina.

 

- Parque de la Memoria - Av. Costanera Rafael Obligado 6745 

 

 

 

 

 

Share on Facebook
Please reload