Uma coisa muito importante de saber antes de iniciar uma viagem é quanto a gente vai gastar. Muita gente tem dúvida de como fazer os cálculos, mas com algum planejamento é possível ter uma ideia bem próxima de quais vão ser seus custos. Quando vamos planejar uma viagem, normalmente ela tem dois tipos de limitação: tempo e dinheiro. Se vamos tirar férias ou temos um certo período livre, aquela quantidade de dias é rígida. Ou se temos um dinheiro guardado, aquela reserva que foi economizada para a viagem, temos que ter esse valor em mente para ficarmos dentro do orçamento. O mais comum é termos que encaixar nossas viagens em ambas as limitações, tempo e dinheiro, e para isso, fazer um cálculo realista dos prováveis custos é imprescindível. Em primeiro lugar, tenha em mente quanto você pode gastar. Para viajar basta ter vontade, mas o seu orçamento e o que você está disposto a fazer são essenciais para definir para onde você vai, qual vai ser o roteiro e o estilo de viagem, mais econômica ou com mais conforto, para perto ou para longe. Se o seu orçamento é muito baixo, dá para planejar uma viagem dentro de seu próprio estado, para lugares não muito turísticos ou trocar trabalho por hospedagem e pegar carona por exemplo. Mas se você está planejando dar uma volta ao mundo ou conhecer destinos turísticos em outros continentes é claro que isso depende de uma boa reserva de dinheiro.

Mas afinal, como saber quanto eu vou gastar? Bom, não existe uma fórmula e se você sai para uma viagem totalmente aberto para ir decidindo seus destinos ao longo do caminho, fica mais difícil ainda. Mas se você já tem um roteiro estruturado, é possível fazer os cálculos. Uma dica: eu prefiro usar sempre reais nas minhas contas, para não perder a noção dos valores, então se vou para outro país faço a conversão das moedas locais usando os valores de câmbio. Às vezes, fazer todas as conversões para dólar pode ser mais simples, principalmente se você vai levar dólares para a viagem, mas o importante é ter como base uma moeda que te ajude a visualizar o que é caro ou barato.

- Custo de ida e volta Para começar a conta, um custo básico que temos em todas as viagens é o deslocamento de ida e volta. Se você vai de carro, veja a distância e já faça um cálculo de quanto vai gastar de gasolina. Se pretende pegar ônibus, pesquise antes quais companhias fazem aquele trajeto e já contabilize os preços. Se você vai de avião pesquise o valor médio das passagens, mas também tente comprar bem antes, pois os preços podem variar muito. Esses valores costumam ser altos e bem significativos no orçamento da viagem, mas também são únicos e bem previsíveis, então pesquise e já inclua na sua tabela de custos.

- Outros trajetos Se você vai fazer uma viagem com vários destinos, com grandes deslocamentos entre eles, provavelmente você terá gastos substanciais com transporte. Tente já planejar para onde você vai e pesquise os preços de acordo com o transporte que vai usar.

- Passeios caros Em alguns destinos podemos não ter nenhum gasto com passeios, mas as vezes eles são os motivos para irmos a certos lugares. Por exemplo, se você vai a El Calafate, é muito provável que vai querer fazer o trekking no glaciar Perito Moreno ou se vai a Puerto Madryn, não vai deixar de mergulhar com os lobos marinhos. Esses passeios podem sair caro e nem sempre tem uma opção mais econômica, mas são oportunidades de experiências únicas, que não vamos deixar de fazer. Se esse é o caso, você provavelmente já sabe que está indo a um lugar onde vai querer gastar com uma atividade específica, então pesquise os valores antes e inclua no seu orçamento, se for algo único e concorrido, busque também já reservar antes.

- Valor diário Esse é o cálculo mais complexo, pois envolve muitos fatores, mas logo você vai pegar prática e perceber que não varia tanto de uma viagem para outra. Transporte: você provavelmente vai usar algum meio de transporte todos os dias, como ônibus, táxi, ou talvez você só ande a pé. Pense no destino e no seu estilo de viagem. Se você, por exemplo, vai a uma cidade com bastante metrô, pesquise o preço da passagem e faça um cálculo de duas por dia. Talvez um dia você não gaste nada, mas em outro você pegue um táxi, a questão é chegar a um valor médio que seja compatível com o que você vai gastar. Entradas: ingressos em museus e taxas de parques podem parecer baratos, mas acabam acumulando uma grande quantia. Se você pretende frequentar lugares pagos, estipule uma verba diária. Alimentação: depende muito se você vai comer em restaurantes ou se virar em feiras e supermercados. É possível experimentar a culinária local gastando pouco, mas você pode querer conhecer os melhores restaurantes da região. Estabeleça uma quantia para gastar por dia e, por exemplo, economize no almoço para ir a um restaurante melhor a noite. Acomodação: mesmo que você não reserve antes, com uma rápida pesquisa em sites como o booking.com dá para ter uma noção dos valores de acordo com o tipo de hospedagem no local. Se você vai ficar em hostel, hotel, ou acampar, isso vai ser muito significativo nos seus gastos diários. Festas: se você pretende ir a festas já pesquise alguns preços. Se você vai a uma por semana, por exemplo, divida o valor por 7 e inclua essa quantia no seu orçamento diário. Todos esses custos são baixos, mas constantes. Você não vai gastar o mesmo todos os dias, mas provavelmente vai manter uma média. Arredonde para cima pensando que no dia a dia você terá que pagar taxas, gorjetas, ou comprar algo na farmácia, por exemplo. Some tudo e você terá seu valor de gasto diário, então multiplique pela quantidade de dias. Tente seguir isso no dia a dia da viagem, se em um dia você gastou mais, tente economizar no próximo.

- Compras Se você pretende fazer compras ou levar lembrancinhas dos lugares que vai visitar, já reserve uma quantia no seu orçamento para isso. E durante a viagem, tente respeitar esse valor.

- Imprevistos Imprevistos acontecem e eles podem arruinar nossa viagem se não estivermos preparados. Portanto, após fazer todos os cálculos e chegar ao valor total que você vai gastar, eu aconselho acrescentar mais 20%. Imprevistos nem sempre precisam ser problemas, pode ser que você goste muito de um lugar e queira ficar lá mais dias do que o planejado. De qualquer jeito é importante sempre ter uma sobra.

O mais importante é se conhecer, saber o tipo de viagem que você pretende fazer e ser honesto na hora das contas. Não tente diminuir os valores e prever gastos muito baixos. Seja realista e calcule quanto é realmente possível gastar. Ao voltar da viagem confira seus gastos e compare com o seu planejamento para ver no que você acertou e no que errou, para já calcular melhor na próxima.

Veja como levar seu dinheiro nas viagens aqui


This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now